O QUE PODEMOS APRENDER COM AS CRIANÇAS

Data: Sábado / 15 de agosto de 2015
Local: Reunião espírita /  São Paulo-SP
Horário: 9h00

Antes da reencarnação o espírito entra em um estado de perda de consciência, esquecendo-se do seu “ser divino” e sua personalidade. Essa condição permanece durante a infância, aumentando as responsabilidades dos pais (ou tutor legal) no desenvolvimento das crianças. Com o tempo o espírito vai retomando o controle, mas é possível uma comunicação plena nesta fase da vida.

chackra em bebês

Não é comum em nossa reunião atendermos crianças muito pequenas, mas as vezes somos agraciados. Os processos são sempre esclarecedores. Desta vez um jovem pai trouxe o seu filho, de um ano e dois meses, chamado Douglas. Esse menino é uma criança abençoada, sendo sempre uma experiência única e imensurável de aprendizado sobre a espiritualidade.

Se vocês permitirem, eu vou relatar rapidamente a primeira vez que atendi o Douglas:

“O menino estava doente, com muita febre. Os pais o trouxeram para nós o ajudarmos a descobrir o motivo da doença. Pelo contato inicial percebi que a sua energia estava toda bagunçada. O motivo era as constantes brigas entre os pais na frente do filho que impregnava uma energia ruim em volta do seu perispírito. Toda essa carga acabava gerando um estado febril em seu corpo físico. Douglas estava calmo no começo do processo, facilitando a minha conexão com o seu “Eu Superior” para saber o que estava acontecendo (pois ele era bem pequeno, sendo que isso poderia dificultar o processo espiritual). A resposta veio desde pequeno espírito e somente com os meus estudos anteriores pude entender toda a situação: ‘Calma eu já sabia de tudo isso quando decidi vir. Esta tudo certo. Pessoas virão e vão cruzar meu caminho para que eu tenha o apoio necessário para essa jornada’. Neste momento os papéis foram invertidos. Eu tive a vontade de ser assistido por aquele ser iluminado. Isso demonstra que a nossa idade carnal não significa experiência e que Deus não joga dados e nem faz nada ao caso”.

Voltando para a reunião atual, o pequeno Douglas estava novamente na minha frente. Eu pensava no que poderia aprender novamente com o menino. Douglas estava sentado no colo da mãe. Comecei a trabalhar a minha respiração buscando uma conexão direta ou com um mentor que estivesse ali para auxiliar o processo.

A espiritualidade me mostrou os Chakrasdele. Eles eram diferentesdos que habitualmente vejo em adultos. Nem todos estavam amostrar ou eram da mesma cor. Havia um espiral preto e branco com um brilho dourado girando em sentido horário.O seu Chakra cardíaco era enorme. Aproximei-me por meio da clarividência e pude perceber umas ranhuras em movimento

Fiquei pensando: “o que será que são essas ranhuras no Chakra desse menino?”. Eis que surge um espírito para sanar as minhas dúvidas:

– Esse chakra cardíaco funciona nos corpos astrais como um disco rígido de computador, onde vão sendo gravados energias emocionais do ambiente em que a criança convive.

A entidade citou um exemplo para elucidar o fato:

– O pai fala com a criança ou com a mãe gritando. Essa energia é registrada nesse chakra da forma como foi expressa e isso não é bom. Mesmo que as palavras do pai sejam “Gritar é errado”,a energia em movimento foi gravada. Essa “gravação” vira o norte das atitudes emocionais dessa criança, que repetirá os padrões, mesmo tendo consciência no futuro que esta não é a melhor forma de agir.

– Quando perdemos momentaneamente a razão, nos conectamos diretamente com esses padrões registrados no nosso “disco rígido das emoções” que foi gravado em nossa infância. Muitos terapeutas voltam a essas fases da vida durante as sessões para poder auxiliar melhor o individuo.

Após a explanação do espírito passei a informação para todos os presentes. Desta maneira todos irão ter conhecimento da importância das nossas atitudes verbais e físicas tem em nossos filhos e nas crianças de nosso convívio.

 

Gratidão pela vida e pelas oportunidades.

Anúncios

SER DISPONÍVEL

Data: Sábado / 18 de setembro de 2010
Local: Reunião espirita em casa de um amigo / São Paulo-SP
Horário: 18h30

Esse relato é sobre o aprendizado de “estarmos sempre disponíveis” – de corpo e alma – para ajudar o próximo e a nós mesmos, no plano material e e espiritual. Indo de encontro aos ensinamentos de Jesus sobre a caridade.

Aborto de Crianças
O acontecimento ocorreu há alguns anos quando participava de um grupo de médiuns que tinham o intuito de desenvolverem suas percepções. Embora o grupo não se reúna mais, eu carregarei os ensinamentos dessa passagem para o resto da minha vida. Sempre procuro ressaltar em meus textos sobre a importância dos estudos contínuos e como isso facilita o trabalho espiritual para nós mesmo e para as equipes que nos assistem.

Neste sábado iniciamos a reunião como de costume. (Caso você não tenha familiaridade com uma sessão mediúnica, os trabalhos começam com uma prece inicial, em seguida há a leitura do Evangelho Segundo o Espiritismo, realizamos a explicação daquela passagem abordada e, no nosso caso, o mentor que coordena o trabalho se manifestando por meio de um médium).

Tudo estava ocorrendo normalmente quando percebi um espirito diferente posicionado no canto da sala e observando os nossos trabalhos. Sua aparência era de uma sombra, com as feições do corpo apagadas como se fosse formado pela ausência de luz, sendo visível apenas os olhos, uma echarpe e sua aura violeta. Embora a energia que irradiava da entidade não fosse sutil, percebi que se tratava de um espírito de outra egrégora e necessitava de nossa ajuda para uma missão.

Pedimos permissão e apoio do nosso mentor responsável para ajudar o espirito. Após o sinal positivo, nos preparamos através do relaxamento, respirando e elevando nossos pensamentos a Deus. E fomos auxiliados pelo mentor. Os colegas que tinham facilidade de realizar desdobramento corporal acompanharam o espirito missionário nesta missão. Os demais ficaram realizando o apoio no mesmo local da reunião.

Amigos EspirituaisFomos conduzidos a uma região árida semelhante às planícies africanas, mas o local era seco, cinza e sem vida. Seguimos o espirito até uma enorme cratera que deveria medir 6 metros de diâmetro e era possível sentir um cheiro repugnante que perturbava a todos.

Realizamos uma aproximação cautelosa, pois não sabíamos o que poderíamos encontrar neste local. Quando foi possível a visualização do interior do buraco, a cena era chocante: o lugar era uma grande cova com dezenas de fetos espalhados por todos os lados.

Os fatos estavam acontecendo no plano astral, mas era a copia astral de um local na crosta terrestre. A energia no local era pesada. O espirito informou que precisaríamos administrar as nossas emoções, pois se trabalhássemos no emocional o desgaste seria enorme. O trabalho consistia em auxilia esses espíritos que ali ficaram presos por conta da forma brutal em que realizaram a passagem para o mundo espiritual.

Uma ponte foi criada entre o local e o grupo que ficara na reunião para o trabalho ser realizado. Retornamos aos nossos corpos físicos. cada pessoa agora tinha um dos bebês em seus braços. Os médiuns clarividentes foram passando as informações do que ia acontecendo para facilitar aos outros trabalhadores.

Após uma proteção ser feita o mentor nos instruiu a trabalhar com o amor incondicional, essa energia manipularia o ectoplasma doado pelos médiuns, permitindo que os perispíritos fossem reconstruídos, libertando aqueles espíritos de suas prisões mentais.

A partir deste momento a beleza dos acontecimentos pode ser inenarrável. Do nosso Chakra cardíaco brotava uma flor enorme, cada um dos médiuns tinha uma flor de cor diferente. Eu vi flores verdes, rosas, violetas… A minha foi uma amarela alaranjada. Conforme as pétalas iam se abrindo lentamente, podia sentir o calor que saía do meu peito e preenchia o espírito amparado, fazendo uma conexão sutil entre assistido e o médium.

Em seguida, as pétalas foram se fechando com todo carinho, acolhendo o bebezinho em seu íntimo. Eu senti o quanto a energia do amor é importante para quem dá e quem recebe. Ela te revitaliza, dá a certeza de que tudo é maravilhoso e que todos nós somos conectados.

De repente o bebezinho abriu os olhos, ele parecia estar olhando para dentro da minha alma.Sorriu e me fez sentir uma sensação de gratidão que ambos sentiam por Deus e tudo que existe, onde todos estão conectados como um único sistema vital.

Após essa experiência eu percebi que o “Estar Disponível” é um estado de alma para auxiliar quem precisa reaprender sobre uma das principais coisas do universo: O amor universal.

Gratidão Sempre